quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Uma princesinha cirandeira (Final)


8º Passo: “MEU CARNAVAL É ASSIM”

A Ciranda Flor Matizada destaca, neste passo, a forma diferenciada como a população de Manacapuru vivencia essa que é a maior festa popular do Brasil: o Carnaval.

A aplicação do manacapuruense nas diversas formas de curtir o carnaval é uma característica que o diferencia e demonstra um aspecto de significativo de sua cultura.

O manacapuruense é extremamente apaixonado por seu carnaval.

A Flor Matizada traz alguns de seus personagens marcantes para a Arena do Parque do Ingá: O Tartaruga, folião dos foliões; a Graci com o Bloco de Mascarados e Modesto Alexandre, compositor das mais destacadas marchinhas do carnaval manacapuruense.

Fantasia de Destaque: “Meu Carnaval é Assim”.

Cirandada: “Folião de Manacá”

Alegorias: “Banda da Maizena”, “O Sapo da Madrugada” e “Delegacia de Polícia”.

Com vocês, “Meu Carnaval é Assim”.


Vamos receber a Porta Cores da Flor Matizada: Paula Vasconcelos, chegando vestida de Colombina, um personagem do carnaval italiano.

9º Passo: “O ANIVERSÁRIO DA CIDADE”

O aniversário da cidade de Manacapuru tornou-se um evento no qual a sensação de estima do cidadão por sua terra atinge o ápice.

Uma oportunidade que o povo acolheu para expressar a força da paixão que tem por sua terra, manifestada por um jeito particular de comemorar, como não é visto em outros lugares.


A Flor Matizada apresenta o modo de comemorar a festa que deixa o manacapuruense absorto em sua paixão pela terra.

As brincadeiras do Pau de Sebo, os torneios, a gincana nos fazem sonhar como eternas crianças.

Cirandada: “O Aniversário da Cidade”

Alegorias: “Carro de Som” e “Pau de Sebo”.

A Ciranda apresenta o passo “O Aniversário da Cidade”.


Neste momento vem chegando a Cirandeira Bela Vanessa Simplício, como Miss Manacapuru que é escolhida dentre as mais belas jovens da cidade.


10º Passo: “MANACAPURU: A TERRA DA CIRANDA”

A Flor Matizada finaliza sua apresentação, mostrando a marca maior da identidade cultural de Manacapuru: a Ciranda.

Indiscutivelmente, essa dança encontrou em Manacapuru seu solo mais fértil e desabrochou, revelando ao mundo uma das mais belas páginas do folclore brasileiro, razão pela qual a cidade também ficou conhecida como “A Terra da Ciranda”.

A apresentação retrata o início da Ciranda desde Tefé, com uma pitada do formato original, até chegar a Manacapuru, quando adquire seu formato mais soberbo.


A Ciranda Flor Matizada assinala a origem das três cirandas, ainda no ambiente das escolas estaduais da cidade, e presta justa homenagem àquelas que viveram o início de cada uma das três grandes cirandas de Manacapuru: Flor Matizada, Tradicional e Guerreiros Mura.

Cirandada: “Gira Roda”

Alegorias: “Símbolos da Paixão: Flor Matizada, Tradicional e Guerreiros Mura”.

A Flor Matizada apresenta o passo “Manacapuru: A Terra da Ciranda”.


Homenagem de Honra:

Sra. Fátima Fernandes Barreto – Fundadora da Ciranda Flor Matizada

Sra. Terezinha Vieira Fernandes – Fundadora da Ciranda Tradicional

Sra. Wanderleia Nogueira – Fundadora da Ciranda Guerreiros Mura”

Homenagem Especial:

Maria Madalena Campelo Bezerra – Primeira cantadora da Ciranda de Manacapuru.

Modesto Alexandre: Ex-presidente da Tradicional e maior compositor de marchinhas carnavalescas da cidade.

Nenhum comentário: